Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Navio com refugiados revela tensões no governo da Itália

Embarcação privada resgatou 67 pessoas no Mediterrâneo

Navio com refugiados revela tensões no governo da Itália
Notícias ao Minuto Brasil

15:31 - 10/07/18 por Ansa

Mundo divergências

Um navio com 67 pessoas resgatadas no Mar Mediterrâneo provocou nesta terça-feira (10) divergências dentro do governo italiano, fruto de uma coalizão entre o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e a ultranacionalista Liga, adversários até pouco tempo atrás.

O caso começou quando a embarcação italiana privada Vos Thalassa resgatou, na última segunda (9), 67 deslocados externos que estavam em um barco clandestino nas águas territoriais da Líbia.

Leia também: Batalha vencida: todo o time é resgatado de gruta na Tailânda

No entanto, o Ministério do Interior, chefiado por Matteo Salvini, secretário da Liga, não queria dar autorização para o navio atracar em seu próprio país. Segundo fontes da pasta, o motivo era que o Vos Thalassa realizara o resgate quando as autoridades líbias já estavam a caminho dos migrantes.

Em seguida, a embarcação privada transferiu as pessoas para o navio Diciotti, da Guarda Costeira da Itália, mas a posição do Ministério do Interior não mudou. Segundo o ministro dos Transportes do país, Danilo Toninelli (M5S), os deslocados externos estavam "ameaçando" e "colocando em perigo" a tripulação do Vos Thalassa.

O episódio provocou uma reunião de crise em Roma, entre o premier Giuseppe Conte e os ministros da Defesa (Elisabetta Trenta), das Relações Exteriores (Enzo Moavero Milanesi) e dos Transportes (Toninelli). Salvini não participou presencialmente por causa de compromissos na Calábria.

"Falei com Salvini e esclarecemos: ele pensava que estivéssemos frente ao enésimo socorro no mar, eu expliquei que era uma intervenção de ordem pública porque houve algumas ameaças de morte à tripulação", disse Toninelli após a reunião.

Em seguida, ele anunciou que o navio da Guarda Costeira chegará à Itália na manhã desta quarta-feira (11), mas o Ministério do Interior ainda não indicou um "porto seguro". "O governo se move de modo compacto e inequívoco sobre a imigração", garantiu Salvini, negando supostas tensões no Executivo.

Desde o início do ano, a Itália já recebeu 85,2 mil deslocados externos via Mediterrâneo, queda de 80% em relação ao mesmo período de 2017. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório