Meteorologia

  • 16 NOVEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Vítimas de ataque em colégio na Crimeia morreram baleadas

Pelo menos 18 pessoas morreram, incluindo o atirador de 18 anos, e 47 ficaram feridas

Vítimas de ataque em colégio na Crimeia morreram baleadas
Notícias ao Minuto Brasil

10:44 - 17/10/18 por Ansa

Mundo Tragédia

Uma ataque deixou pelo menos 18 mortos - incluindo o agressor - e 47 pessoas feridas em um instituto de ensino técnico em Kerch, na Crimeia, ex-península ucraniana que foi anexada pela Rússia, nesta quarta-feira (17).

O balanço atualizado é do governador da região, Sergei Aksyonov, que também confirmou que o autor do atentado é um estudante do Instituto Politécnico de Kerch. Seu corpo foi encontrado na biblioteca situada no segundo andar do prédio. O jovem seria um aluno de 18 anos chamado Vladislav Roslyakov, de acordo com o portal "Russia Today".

A dinâmica do atentado ainda está sendo apurada, mas parece descartada a hipótese de explosão. Segundo a porta-voz do Comitê Investigativo da Rússia, Svetlana Petrenko, citada pela agência "Tass", um aluno da faculdade entrou no prédio disparando com um fuzil e depois se suicidou. Todas as vítimas teriam morrido baleadas. 

+ Jornalista saudita teria sido esquartejado vivo, diz jornal

Especialistas também encontraram um "artefato explosivo" no instituto e agora estão analisando o objeto. Inicialmente a imprensa russa havia falado em uma "explosão" na faculdade.

Além disso, o "Russia Today" afirmou que o caso é investigado como "homicídio", e não como "terrorismo", mas a informação não foi confirmada oficialmente. "Os motivos e teorias dessa tragédia estão sendo minuciosamente investigados", disse o presidente Vladimir Putin.

A Crimeia pertencia à Ucrânia e foi anexada pela Rússia em 2014, o que levou o país a ser removido do então G8 e provocou uma série de sanções internacionais contra Moscou. Kerch é a cidade que abriga a ponte que conecta fisicamente a península à Rússia, inaugurada em maio passado, apesar dos protestos de Kiev. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório