Meteorologia

  • 04 JULHO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Bolsonaro: Tudo pode ser divulgado menos fala de política internacional

Celso de Mello deve decidir até amanhã se divulgará ou não a gravação da reunião ministerial.

Bolsonaro: Tudo pode ser divulgado menos fala de política internacional
Notícias ao Minuto Brasil

22:45 - 21/05/20 por Estadao Conteudo

Política reunião ministerial

Em transmissão online em sua página do Facebook, o presidente Jair Bolsonaro disse que optou por não destruir a gravação integral da reunião ministerial do dia 22 de abril, depois que o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro citou a gravação como prova das acusações de interferência na Polícia Federal por parte do presidente, no contexto do inquérito que está sob o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal.

No começo desta semana, Celso de Mello disse que decidiria até esta sexta-feira, 22, se divulgará ou não a gravação da reunião ministerial.

"Quando estava na iminência de destruir essa fita, veio o depoimento do ex-ministro Sérgio Moro, falando que tinha prova na fita. Eu não destruí. Seguramos a fita, o ministro Celso de Mello pediu e em respeito a ele, à Constituição, ao seu legítimo direito de questionar, de julgar, entregamos", disse Bolsonaro, que aproveitou para apelar ao magistrado para que não seja divulgada a fita em sua versão integral, uma vez que determinados trechos da reunião trazem comentários que podem impactar as relações entre o Brasil e outras nações.

"Fizemos um pedido para que fosse divulgado (sic) as partes que interessam ao inquérito. Tudo pode ser divulgado menos duas passagens que falam de política internacional. Não revelem, é um constrangimento".

De acordo com Bolsonaro, há na fita falas e "brincadeiras" feitas na "informalidade" e com palavrões que podem gerar desgastes. "Não é o caso de tornar público isso daí. Grande parte da mídia vai me botar falando um palavrão e questionar se estou à altura do cargo que represento. Não é por aí, meu Deus do céu", argumentou o presidente da República.

O presidente também voltou a criticar a cobertura da imprensa. "Um maluco dá um depoimento, vira manchete em tudo quanto é jornal como se fosse a verdade absoluta", reclamou Bolsonaro, sem dizer exatamente a quem se referia.

Campo obrigatório