Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

MPF denuncia Mantega e Palocci por corrupção e lavagem de dinheiro

Essa é a primeira denúncia contra Mantega na Lava Jato em Curitiba.

MPF denuncia Mantega e Palocci por corrupção e lavagem de dinheiro
Notícias ao Minuto Brasil

07:19 - 11/08/18 por Folhapress

Política Ex-ministros

O MPF-PR (Ministério Público Federal) apresentou denúncia nesta sexta-feira (10) contra os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci e os ex-executivos da Odebrecht Marcelo Odebrecht e Maurício Ferro, seu cunhado. Eles são acusados de praticar corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo a edição de medidas provisórias para beneficiar empresas do grupo. 

Também foram denunciados Bernardo Gradin, Fernando Migliaccio, Hilberto Silva e Newton de Souza, da Odebrecht, e os publicitários Mônica Moura, João Santana e André Santana.

Tribunal nega recurso de Cabral contra condenação na Lava Jato

Segundo as investigações, Marcelo Odebrecht, com o auxílio de Ferro, Gradin e Newton de Souza, ofereceu propina aos ex-ministros Palocci e Mantega, buscando influenciá-los na edição das medidas provisórias 470 e 472 (MP da crise).  

De acordo com a denúncia, entre 2008 e 2010 houve intensa negociação para solucionar questões tributárias da empresa. O objetivo, segundo o MPF, era permitir o pagamento parcelado de tributos federais devidos, com redução de multa, bem como sua compensação com prejuízos fiscais.  

A procuradoria afirma que Mantega aceitou propina de R$ 50 milhões, quantia que teria permanecido à sua disposição em conta específica mantida pelo setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, sob o comando de Migliaccio e Hilberto da Silva. Parcela desse valor, segundo o MPF, foi entregue aos publicitários Mônica Moura, João Santana e André Santana, para serem usados na campanha eleitoral de 2014. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório