Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Meirelles manda recado para Alckmin: 'Deve aprender a respeitar a lei'

Afirmação foi feita após questionamento sobre afirmação do tucano de que tentativa do MDB de impugnar sua coligação ao Planalto se configurava um "tapetão"

Meirelles manda recado para Alckmin: 'Deve aprender a respeitar a lei'
Notícias ao Minuto Brasil

18:38 - 18/08/18 por Folhapress

Política Resposta

O candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, disse neste sábado (18) que o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), seu concorrente, deve aprender a respeitar a lei.

A afirmação foi feita após questionamento da Folha de S.Paulo sobre afirmação do tucano de que tentativa do MDB de impugnar sua coligação ao Planalto se configurava um "tapetão puro".

O argumento do MDB é que pelo menos três siglas –PRB, Solidariedade e PR– não atualizaram as atas de suas convenções partidárias, o que levaria a falhas na formalização de apoio e em redução do tempo de TV no horário eleitoral da coligação.

"O governador deve aprender a respeitar a lei. Fazer as coisas e exigir que todos sigam a lei não é tapetão", disse Meirelles em Barretos (a 423 km de São Paulo), onde visitou a 63ª Festa do Peão de Boiadeiro.

+ Presidenciáveis vão participar de mais oito debates; confira a agenda

Segundo Meirelles, seu partido questionou a irregularidade nos procedimentos de algumas legendas que apoiam o tucano.

"Compete ao TSE decidir. Qualquer que seja a decisão, nós vamos respeitar. Nós não vamos ficar criticando a Justiça e dizer que é jogada de tapetão, etc. Vamos respeitar a decisão. Agora, se ele tiver correto, que mostre ao tribunal, se estiver errado, vai desfazer aquela coligação. Mas isso é uma decisão soberana da Justiça. Sou contra a politização da Justiça. Temos de respeitar a Justiça e seguir a lei", afirmou o candidato.

Meirelles disse ainda que estará no segundo turno e que aceitaria o apoio do tucano, por ser um dos candidatos que têm pontos de vistas similares.

"Temos confiança sim de que vamos para o segundo turno e aí certamente aceitaremos o apoio de diversos candidatos que tenham pontos de vistas similares, seja por exemplo o Geraldo Alckmin [PSDB], seja o João Amoêdo [Novo], seja o próprio Álvaro Dias [Podemos], em resumo. Mas isso evidentemente vai ser uma decisão de cada candidato." Com informações da Folhapress.

PARTICIPE: Campanha do Notícias ao Minuto dá iPhone X de R$ 7.799; participe

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório