Meteorologia

  • 01 JUNHO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Aluna que ficou gaga após bullying no Orkut deverá receber R$ 13 mil

Justiça de Mato Grosso condenou um colégio particular de Cuiabá pelos comentários depreciativos sofridos pela estudante entre 2007 e 2009

Notícias ao Minuto Brasil

18:56 - 24/03/17 por Notícias Ao Minuto

Brasil Indenização

A Justiça de Mato Grosso cobrou uma indenização R$ 13 mil a um colégio particular de Cuiabá, após uma aluna sofrer 'bullying' por parte dos estudantes por conta da cor da sua pele e cabelo. As ofensas ocorriam dentro da unidade de ensino e foram comprovadas após por meio de imagens da rede social 'Orkut'.

A aluna frequentou a escola entre 2007 e 2009. Segundo seus pais, a menina de 11 anos era “ativa, feliz, cantava e dançava no grupo da igreja”, mas seu comportamento mudou ao ingressar no colégio.

“Desde então, passou a apresentar comportamento diverso, permanecendo calada e trancada em seu quatro por longo período, evitando se relacionar com a família, amigos e parentes, além de baixa autoestima e gagueira”, informa texto do processo.

A desembargadora Cleuci Terezinha Chagas confirmou que a estudante sofreu bullying nos anos que estudou na unidade de ensino.

"É possível constatar que além de a autora ter sido vítima de intimidação sistemática, essa violência resultou em danos psicológicos, com alteração de comportamento, dificuldade de relacionamento e problema na fala”, declarou.

A ocorrência das perseguições que a menina sofria foi confirmada por imagens da rede social 'Orkut', onde estudantes faziam comentários depreciativos sobre a menina.

Tal fato demonstra mais uma vez que a instituição de ensino tinha conhecimento de que havia algo de errado acontecendo com a estudante, pois, embora seja normal uma pessoa ser tímida, não se pode dizer o mesmo de uma adolescente que está evitando os colegas e o convívio social dentro da escola”, afirmou a magistrada.

Consta no processo que a escola alegou não saber da situação vivenciada pela aluna. De acordo com o G1, a decisão ainda cabe recurso.

Leia também: Estudante de Direito morre atropelado durante trote na PUC Rio

Campo obrigatório