Meteorologia

  • 16 AGOSTO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Empresas estrangeiras são as que mais têm pesquisa com universidades

Entre as empresas de fora com mais trabalhos acadêmicos com os cientistas paulistas no período analisado estão a Novartis (com 118 estudos), a Roche (73) e a Merck (59)

Empresas estrangeiras são as que mais têm pesquisa com universidades
Notícias ao Minuto Brasil

15:27 - 09/08/18 por SABINE RIGHETTI para a Folhapress

Brasil Ranking

SABINE RIGHETTI - Na lista das dez empresas com mais artigos científicos publicados com as universidades estaduais paulistas (USP, Unicamp e Unesp), oito são estrangeiras. As exceções são a Petrobras, que lidera a quantidade de pesquisas em parceria com essas universidades, e a Embraer, que fica em 10° lugar.

O levantamento, inédito, do diretor-científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz, foi apresentado nesta quarta (8), no lançamento do livro "Repensar a Universidade: desempenho acadêmico e comparações internacionais" [Com-Arte/Fapesp, 256 págs., R$ 50].

+ CNPq diz que só terá verba para bolsas em 2019

Brito Cruz analisou a quantidade de estudos científicos publicados pelas universidades públicas de São Paulo em co-autoria com empresas, de 2011 a 2017, na base de periódicos acadêmicos Web of Science. "Estamos falando de parceria científica de verdade", disse. "São estudos feitos de maneira conjunta. Não se trata de a empresa colocar dinheiro para a universidade pintar a parede de um laboratório."

Entre as empresas de fora com mais trabalhos acadêmicos com os cientistas paulistas no período analisado estão a Novartis (com 118 estudos), a Roche (73) e a Merck (59).

O ranking traz cenários interessantes. Por exemplo, uma pequena empresa nacional de Ribeirão Preto (340km da capital paulista), a Apis Flora, figura em 23° lugar com 26 estudos feitos com universidades. Eles trabalham com produtos para saúde derivados de mel e de própolis -e têm mais estudos acadêmicos com universidades paulistas do que companhias gigantes como a Sanofi (26° lugar, com 22 estudos) e a Microsoft (37° lugar, com 12 estudos).

A Apis Flora, como destacou Brito Cruz, já teve investimento da própria Fapesp para fazer pesquisa. A empresa ganhou, por exemplo, em 2008, um aporte de recursos por meio do programa Pipe (Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas) para o desenvolvimento de biocurativos a partir de extrato de própolis para tratar queimaduras.

Os dados de Brito Cruz mostram, ainda, que a quantidade de estudos feitos com empresas no total de publicações das universidades de São Paulo vem aumentando em ritmo frenético e se compara a de países desenvolvidos. Na USP e na Unicamp, por exemplo, quase 3% de todos os estudos científicos publicados entre 2015 e 2017 tiveram parceria com alguma empresa. A taxa é um pouco maior do que a da Universidade da Califórnia em Davis, que fica no meio do Vale do Silício (EUA).

"Isso serve para desmontar um discurso recorrente de que universidades públicas não fazem pesquisa com indústria", diz Brito Cruz. "Pelo menos no Estado de São Paulo isso não é verdade."

DESEMPENHO

O livro "Repensar a Universidade: desempenho acadêmico e comparações internacionais", que traz o estudo de Brito Cruz, reúne trabalhos de 18 especialistas em ensino superior e avaliações de desempenho acadêmico das universidades [um dos estudos da obra, sobre os principais rankings internacionais de universidades que existem, é de minha autoria!]

A obra é coordenada por Jacques Marcovitch, professor e ex-reitor da USP, e faz parte de uma proposta da própria Fapesp de analisar formas de mensurar desempenho acadêmico e de refletir sobre as universidades paulistas. No ano passando, Marcovitch coordenou outra publicação, "Universidade em Movimento" [Com-Arte/Fapesp, 256 págs., R$ 40], na qual os autores trataram de gestão das universidades e da crise financeira instalada na USP. Com informações da Folhapress.

Empresas com mais artigos científicos com universidades paulistas (2011-2017)

1 - Petrobras (199 estudos)

2 - Novartis (118)

3 - Roche (73)

4 - Merck (59)

5 - Westat (53)

6 - AstraZeneca (52)

7 - Pfizer (51)

8 - GSK (50)

9 - Agilent (49)

10 - Embraer (47)

Fonte: Brito Cruz, Carlos Henrique (2018): "Indicadores sobre Interação Universidade-Empresa em Pesquisa em São Paulo" em "Repensar a Universidade: desempenho acadêmico e comparações internacionais" (p. 198)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório
Competição
Quer ganhar um
iPhone X no valor de R$ 7.799? Não, obrigado

Notícias ao Minuto
Inscreva-se agora e concorra ao
SMARTPHONE
Mais cobiçado do momento
Complete as 5 etapas para participar
Notícias ao Minuto