Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Estiagem derruba previsão de safra de laranja em São Paulo

Das 288,29 milhões de caixas de 40,8 quilos previstas, colheita deve alcançar apenas 273,34 milhões, ou 5,19% menos

Estiagem derruba previsão de safra de laranja em São Paulo
Notícias ao Minuto Brasil

15:46 - 14/09/18 por Folhapress

Economia Seca

A estiagem no campo reduzirá ainda mais a safra de laranja no cinturão citrícola formado por São Paulo e Triângulo/Sudoeste de Minas Gerais.

Das 288,29 milhões de caixas de 40,8 quilos previstas, a safra deve alcançar apenas 273,34 milhões, ou 5,19% menos. A reestimativa foi feita pelo Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura), órgão que havia feito a previsão inicial, em maio.

O montante fica muito abaixo das 398 milhões de caixas da safra passada.

De acordo com o Fundecitrus, a quebra da safra foi motivada por uma estiagem mais severa do que a prevista para o período entre maio e julho.

+ Caixa reduz juros para financiamento de imóveis de até R$ 1,5 milhão

A previsão indicava chuva de 101 milímetros no período, 24% abaixo da média histórica de 1981 a 2010, mas o índice pluviométrico foi de apenas 36 milímetros, ou 73% menos que a média.

É o pior cenário climático dos últimos dez anos. Com a seca, houve menor crescimento da fruta. A seca também reduziu o rendimento da cana colhida em agosto no centro-sul do país em 9,85%.

"As chuvas desse período estão diretamente relacionadas com o desenvolvimento dos frutos e, consequentemente, com o ganho de peso", diz trecho de comunicado do fundo.

O tamanho médio da laranja indica agora a necessidade de 270 frutos por caixa de 40,8 quilos, ante os 256 frutos previstos inicialmente.

PRAGA

Esse é mais um problema enfrentado pelos citricultores, que também estão sofrendo com a alta incidência de greening nos pomares.

Considerada a principal praga da citricultura, o greening avançou neste ano nos pomares de São Paulo e Minas Gerais e atingiu o maior índice da história.

A doença está presente em 18,15% dos pés de laranja de São Paulo e do Triângulo/Sudoeste de Minas, segundo levantamento do Fundecitrus divulgado em agosto.

De acordo com o estudo, o cinturão citrícola formado pelos dois estados viu crescer 8,5% em relação ao ano passado o total de plantas doentes. O índice de 2017 era de 16,73%. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório