Meteorologia

  • 14 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Homem é detido após ejacular em jovem em trem da CPTM

A vítima relatou o ocorrido nas redes sociais

Homem é detido após ejacular em jovem em trem da CPTM
Notícias ao Minuto Brasil

09:48 - 22/02/19 por Notícias Ao Minuto

Justiça São Paulo

Um homem foi detido após ejacular em uma jovem de 22 anos, dentro de um trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O caso ocorreu em 6 de fevereiro e o G1 divulgou o vídeo nesta sexta-feira (22).

As imagens foram gravadas na estação Hebraica-Rebouças, da Linha 9-Esmeralda, em São Paulo.

A vítima, que prefere não se identificar, estava a caminho do trabalho, na Vila Olímpia, Zona Sul da cidade de São Paulo, quando percebeu que um homem fazia movimentos estranhos atrás dela. "Eu percebi que tinha alguém atrás de mim, mas não tinha o que fazer, porque o trem estava muito lotado. Eu fiquei incomodada com a movimentação, mas eu não entendi o que estava acontecendo."

+ Médico é preso acusado de filmar partes íntimas de 105 pacientes

A jovem disse que o homem segurava duas sacolas e tampava parte do seu corpo. "De repente, eu senti um líquido quente invadindo a minha calça e quando eu senti, eu entendi o que estava acontecendo. Virei, empurrei ele e ele estava com o membro para fora da calça. Estava todo sujo e tentou cobrir com a camiseta."

"Eu comecei a gritar, pedir ajuda e todos do vagão ficaram imóveis, sem fazer nada. Quando eu olhei pro lado, tinha uma menina chorando muito e só ai eu entendi que ele tinha sujado ela também. As mãos dela estavam sujas de esperma", relatou a vítima.

Ela segurou o braço do homem para que ele não fugisse e duas passageiras apertaram o botão de pânico do vagão. Os funcionários da companhia chegaram questionaram a versão da vítima.

"Eles ficaram me perguntando se eu tinha certeza, se eu vi, se [a mancha da ejaculação] não era da chuva. E, ao mesmo tempo, ele ficava gritando que era cidadão de bem e me chamava de louca. As pessoas me olhavam como se eu fosse escandalosa. Ninguém viu gravidade no que estava acontecendo."

A jovem relatou ainda que demorou 2h30 para que a CPTM disponibilizasse de um carro para levar as vítimas e o homem para registrar o boletim de ocorrência.

Em seus registros, a CPTM notificou o caso como tentativa de assédio, e não como importunação sexual. O crime de importunação sexual foi registrado corretamente na 3ª Delegacia da Mulher (DDM).

A estagiária em um escritório de advocacia contou que se surpreendeu com o atendimento na delegacia. "Eu esperava um acalanto, ser acolhida, mas demorou 1h30 para que falassem comigo. Não tive instrução, não tive respaldo."

"Eu nunca me senti tão fraca e vulnerável. Eu fui forte para registrar a ocorrência, mas eu não consigo entender, porque eu tenho que fazer tanta força por uma coisa mínima, que é meu direito, que é básica."

De acordo com a reportagem do G1, o homem já tinha passagem por roubo, tráfico de drogas e homicídio.

Campo obrigatório