Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Egito pedirá para seus aliados suspenderem comunicações com Catar

Decisão de romper as relações diplomáticas com o Catar foi impulsionada pelas tentativas fracassadas de convencer Doha a deixar de apoiar grupos terroristas

Egito pedirá para seus aliados suspenderem comunicações com Catar
Notícias ao Minuto Brasil

09:59 - 05/06/17 por Notícias Ao Minuto

Mundo Boicote

O Egito pretende apelar a todos os países aliados, bem como companhias árabes e internacionais para tomarem medidas para cortar ligações de transporte com Catar, afirmou a chancelaria do Egito nesta segunda-feira (5).

Na madrugada de segunda, quatro países árabes, nomeadamente Arábia Saudita, Bahrein, Egito e Emirados Árabes Unidos romperam relações diplomáticas com Catar. Mais tarde a esta medida se juntaram os governos do Iêmen, da Líbia e das Maldivas.

Egito, assim como Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos, anunciou a suspensa de comunicações marítimas e aéreas com Doha.

"[O Egito] tomará as medidas necessárias para que seus países amistosos e companhias árabes e internacionais tomem medidas semelhantes em relação à suas rotas rumo a Doha", diz-se no comunicado do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Egito.

O Ministério das Relações Exteriores do Egito afirmou que a decisão de romper as relações diplomáticas com o Catar foi impulsionada pelas tentativas fracassadas de convencer Doha a deixar de apoiar grupos terroristas, que são liderados pela organização Irmandade Muçulmana.

Mais cedo, a companhia aérea saudita, Etihad Airways, comunicou que vai suspender seus voos a Doha a partir da manhã de terça-feira (6).

Anteriormente, o Ministério das Relações Exteriores do Catar frisou ter pena da decisão dos quatro países árabes — Arábia Saudita, Bahrein, Egito e Emirados Árabes Unidos — de cortar relações com Doha, chamando de injustificáveis as medidas tomadas pelos países.

"Temos pena da decisão quanto ao corte das relações… estas medidas não são justificáveis e são baseadas em afirmações infundadas", diz-se no comunicado da chancelaria do Qatar, publicado pelo Al-Jazeera.

Qatar afirmou que fará todo o possível para "resistir às tentativas que visam influenciar na sociedade e economia do país". Além disso, Doha afirmou que as medidas dos países árabes não afetam a vida de seus cidadãos (Sputnik Brasil).

Leia também: Divulgada identidade de 1 das 7 vítimas mortais do ataque de Londres

Campo obrigatório