Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Na Lituânia, Papa diz que cristãos não devem construir muros

Pontífice disse que país tem vocação para ser ponte de esperança

Na Lituânia, Papa diz que cristãos não devem construir muros
Notícias ao Minuto Brasil

16:10 - 22/09/18 por Ansa

Mundo Em visita

O papa Francisco iniciou neste sábado (22) sua visita aos países bálticos e, em sua passagem pela Lituânia, o Pontífice afirmou que os cristãos devem escolher construir pontes e não muros, para assim conseguir acolher as diferenças. "Diante do cenário mundial em que vivemos, onde aumentam as vozes que semeiam divisão e contraposição - instrumentalizando a insegurança e os conflitos - os lituanos têm algo de original para oferecer: acolher as diferenças", ressaltou, em seu primeiro discurso.

Segundo Francisco, "por meio do diálogo, abertura e compreensão, as culturas podem transformar-se em pontes de união entre o Oriente e o Ocidente Europeu".

+ Vaticano e China fecham acordo sobre nomeação de bispos

Ele relembrou que a população lituana sempre aceitou e acolheu povos de diferentes etnias, ou seja, abrigou as diferenças. Além disso, destacou que "é possível manter a alma deste país".

O líder da Igreja Católica visita os países bálticos no momento " importante da vida do país", que comemora o centenário da declaração de independência. Ao chegar na Lituânia, o Pontífice foi recepcionado pela presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaité, com quem participou da cerimônia de boas vindas.

"Um século marcado por múltiplas provas e sofrimentos que tiveram de suportar: prisões, deportações e até o martírio.

Celebrar o centenário da independência significa parar um pouco no tempo, recuperar a memória do que se viveu para ter contato com tudo aquilo que vos tornou como nação", disse.

Após as declarações, o líder da Igreja Católica seguiu para sua visita ao Santuário "Mater Misericordiae" em Vilnius. Lá, em sua oração, afirmou que "quando nos fechamos com medo dos outros, quando construímos muros e barricadas, acabamos nos privando da Boa Nova de Jesus que guia a história e a vida dos outros". "Construímos muitas fortalezas em nosso passado, mas hoje sentimos a necessidade de nos olharmos e nos reconhecermos como irmãos, para caminhar juntos descobrindo e experimentando com alegria e paz o valor da fraternidade", acrescentou.

Para o Papa, seria bom se os cristãos tivessem facilidade em estabelecer a solidariedade entre todos, acolhendo a diversidade dos outros como um presente e uma riqueza em nossas vidas.

Francisco visitará os países bálticos até a próxima terça-feira (25). A viagem marca mais um capítulo na aproximação do religioso com os ortodoxos. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório