Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Tem bebês em casa? Pela saúde de todos, tire os sapatos

As solas dos sapatos estão repletas de bactérias que representam um perigo real para a saúde, sobretudos das crianças menores

Tem bebês em casa? Pela saúde de todos, tire os sapatos
Notícias ao Minuto Brasil

10:00 - 11/01/19 por Notícias Ao Minuto

Lifestyle Hábitos perigosos

De acordo com vários estudos, o calçado que usamos na rua contém mais de 420 mil bactérias – valor este que pode representar um perigo significativo para a saúde. “As solas dos nossos sapatos são essencialmente um ‘ponto de encontro’ para micróbios e, a cada passo que damos, adquirimos novos ‘convidados'”, explicou Jonathan Sexton, microbiologista ambiental da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, ao Live Science. 

Como estamos constantemente em contato com bactérias, as que se fixam nas solas do calçado não representam um problema altamente prejudicial. Mas, ao falarmos nas crianças pequenas, especialmente as que estão na fase de engatinhar, esses micróbios podem ser uma ameaça, já que podem provocar infecções e outras doenças. Os indivíduos adultos que por algum motivo (sobretudo de doença) apresentam uma menor imunidade também correm um risco maior.

+ Está estressado no trabalho? Cante!

Quando entramos em casa calçados, as bactérias adquiridas espalham-se pelo chão e pelas superfícies. Para evitar contaminações, recomenda-se que tire os sapatos antes de entrar na habitação.

Perigo aos seus pés

Estudos revelam que em quase todos o calçado é possível detectar bactérias, incluindo a Escherichia coli, que pode ser encontrada em 96% das solas. Embora muitos tipos de E.coli sejam inofensivos para os humanos, algumas espécies podem causar diarreia grave, infecções do trato urinário e até mesmo meningite.

Uma pesquisa de 2014, publicada na revista Anaerobe revelou que a Clostridium difficile é outra espécie encontrada nas solas. Tratando-se de uma bactéria de vida longa que comumente provoca problemas intestinais, como diarreia.

+ Ilusão de ótica: consegue encontrar o animal escondido na imagem?

Outras pesquisas apontam para a presença do Staphylococcus aureus, que pode causar uma ampla gama de infecções cutâneas, além de infecções no sangue e coração. Alguns tipos desse micróbio apresentam ainda resistência a tratamentos com antibióticos.

Grupos de risco

Geralmente, esses microrganismos permanecem no chão, onde os adultos não passam muito tempo, o que diminui o risco de contaminação. No entanto, algumas camadas de bactérias podem entrar no ar que respiramos ao serem levantadas por correntes de ar.

“Isso pode aumentar o risco de infecção. Mas a maior ameaça realmente está no chão. Por isso, ficaria mais preocupado com uma criança que engatinhe” comentou Sexton.

Outro grupo de risco são os indivíduos com imunidade comprometida, já que os mecanismos de defesa do corpo estão mais baixos que o normal. Como tal, pessoas que estão sob risco de infecção (como alguém que foi recentemente hospitalizado) devem ficar atentos à limpeza, principalmente com o pó, que é um dos alimentos favoritos das bactérias. 

Leia também: Objetos improváveis que podem ter mais bactérias que o seu banheiro

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório