Meteorologia

  • 15 ABRIL 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Barco naufraga com mais de 30 alunos de universidade do Pará e todos sobrevivem

A Capitania Fluvial de Santarém, da Marinha do Brasil, instaurou inquérito para apurar o motivo do naufrágio.

Barco naufraga com mais de 30 alunos de universidade do Pará e todos sobrevivem
Notícias ao Minuto Brasil

20:30 - 01/10/23 por Folhapress

Brasil NAUFRÁGIO-PA

YURI EIRAS
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Uma embarcação com estudantes e a professora de uma universidade do Pará naufragou nesta sexta-feira (29) no rio Tapajós, em Santarém (a cerca de 1.120 km de Belém). Todos sobreviveram.

A Capitania Fluvial de Santarém, da Marinha do Brasil, instaurou inquérito para apurar o motivo do naufrágio.

A embarcação, batizada Surucuá 2, transportava 34 alunos e uma professora do curso de Ciências Biológicas do ICTA (Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas), da Ufopa (Universidade Federal do Oeste do Pará).

O grupo ia para uma atividade de campo na comunidade Surucuá, à margem esquerda do rio.

O barco de linha afundou próximo da comunidade de Solimões. De acordo com a universidade, todos os passageiros estavam de colete salva-vidas. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram que havia ao menos uma criança entre os resgatados.
O grupo foi salvo por embarcações que passavam pelo local e depois foi levado para a comunidade de Solimões.

A universidade disse que "entrou em entrou em contato com a Capitania dos Portos de Santarém/Marinha e o Corpo de Bombeiros para informar sobre o incidente e solicitar auxílio no resgate".

"A CFS instaurou Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação para apurar as circunstâncias do naufrágio", afirmou a Marinha do Brasil, em nota.
Os alunos e a docente permanecem na comunidade e aguardam para voltar a Santarém.

"A Ufopa está trabalhando para que todos os discentes e a docente retornem de forma segura para Santarém e já acionou o contrato de seguro estudantil e seus profissionais de saúde, a fim de prestar a todos o auxílio necessário", declarou a universidade, em nota assinada pela reitora Aldenize Ruela Xavier.

Leia Também: Juiz de Fora confirma primeira morte por febre maculosa em 2023

Campo obrigatório