Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Temperatura supera 40ºC no Centro-Oeste e vai escalar em SP

Os termômetros também registraram os efeitos do fenômeno climático na capital de São Paulo, onde fez 34,8ºC.

Temperatura supera 40ºC no Centro-Oeste e vai escalar em SP
Notícias ao Minuto Brasil

07:15 - 12/11/23 por Folhapress

Brasil Calor

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Anunciada há dias, a onda de calor fez as temperaturas ultrapassarem 40ºC neste sábado (11) em cidades de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os termômetros também registraram os efeitos do fenômeno climático na capital de São Paulo, onde fez 34,8ºC. Os dados são do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), que prevê a continuidade do calor.

"Temperatura ficará cinco graus Celsius acima da média por período maior do que cinco dias", informou o Instituto Nacional de Meteorologia.
Coxim (MS) registrou 41,4ºC e, em Rondonópolis (MT), os termômetros bateram 40,4ºC. A situação era esperada e a previsão é de que as duas cidades e o restante do Centro-Oeste tenham dias ainda mais quentes.

O estado de São Paulo também será afetado. A segunda-feira (13) deverá ser o dia mais quente na capital durante a onda de calor, com máxima de 38ºC, conforme previsão do Inmet. A situação deve se repetir no interior.

As regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Araçatuba, Marília e Araraquara estão dentro de uma "zona de grande risco" (temperatura alta e umidade baixa), de acordo com o Inmet. Áreas de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul também aparecem na lista de calor intenso.

O El Niño é apontado como fator de contribuição para temperaturas acima da média histórica. Mas cientistas avaliam que o cenário também é consequência das mudanças climáticas.

Calor intenso e duradouro
O Inmet emitiu aviso de nível amarelo na última quarta-feira (8). Esta categoria é atingida quando a previsão é de temperaturas pelo menos cinco graus acima da média histórica por dois a três dias consecutivos.

A MetSul informou que o cenário pode ser ainda mais dramático. A empresa revelou que mesmo cidades habituadas ao calor poderão ter máximas até 15 graus acima da média para esse período do ano.

O meteorologista Vinicius Lucyrio, do Climatempo, declarou que é provável registro de recordes de temperatura para este mês nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Cuiabá, Palmas, Goiânia, Brasília, Belo Horizonte e Campo Grande.
O UOL compilou as máximas de hoje em algumas cidades conforme dados do site do Inmet:
- São Paulo - 34,8ºC
- Rio de Janeiro - 32,4ºC
- Belo Horizonte - 33,6ºC
- Brasília - 32,2ºC
- Cuiabá - 39,4ºC
- Rondonópolis - 40,4ºC
- Campo Grande - 36,6ºC
- Coxim - 41,4ºC
- Salvador - 37,1ºC
Estados sufocados
O Climatempo alertou que a onda de calor poderá ser mais intensa do que em agosto, setembro e outubro. A situação será enfrentada em 13 unidades da federação:
- Bahia
- Distrito Federal
- Espírito Santo
- Goiás
- Mato Grosso
- Mato Grosso do Sul
- Maranhão
- Minas Gerais
- Paraná
- Piauí
- Rio de Janeiro
- São Paulo
- Tocantins
Sul sob risco de tempestades
As temperaturas altas chegaram até mesmo ao Paraná, estado da região Sul, a mais fria do Brasil. Em Curitiba, fez 34ºC e Maringá registrou 35,9ºC.

Mas a preocupação na região é outra porque há alerta de tempestades. Cidades do Sul têm enfrentado enchentes e municípios do Rio Grande do Sul e Santa Catarina sofreram severos prejuízos. O cenário pode se repetir.

"Neste sábado, áreas de instabilidade vão provocar fortes pancadas de chuva, com rajadas de vento acima de 80 km/h e queda de granizo, especialmente, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina", alertou o Inmet.

Existe a possibilidade de os dois estados acumularem 200 mm de chuva até a próxima quinta-feira (16).

Campo obrigatório