Meteorologia

  • 01 MARçO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Tripulantes da British Airways mentiram sobre assalto no Rio de Janeiro

Comissários de bordo teriam passado noite " bebendo e a usando drogas".

Tripulantes da British Airways mentiram sobre assalto no Rio de Janeiro
Notícias ao Minuto Brasil

22:30 - 18/11/23 por Notícias ao Minuto Brasil

Brasil Brasil

A Polícia Civil do Rio de Janeiro vai entregar uma intimação ao escritório da companhia British Airways no Brasil sobre uma mentira que três dos seus tripulantes contaram em depoimento. Segundo o G1, os comissários de bordo inventaram diferentes versões sobre assaltos dos quais haviam sido vítimas no início de setembro.

Segundo o G1, a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo descobriu que Grant Lawrence Wheatley, de 40 anos, Samantha Jo Naylor, 39, e Daniel Pickeiring, de 31, mentiram.

Agora, a polícia quer saber se houve alguma orientação da administração da empresa no Brasil nesse sentido ou se os tripulantes agiram sozinhos. Por isso, vai intimar os representantes da companhia para que esclareçam os fatos.

A polícia acredita que os três perderam os celulares da companhia aérea, depois de uma saída à noite, no dia 5 de setembro,  que terminou com todos eles separados.
 
"O que causa espanto é como uma tripulação que tem uma função tão importante passa a noite inteira bebendo e usando drogas, sabendo que no dia seguinte eles teriam a responsabilidade de cuidar de dezenas de pessoas que viajariam por horas", afirmou Patrícia Alemany,  Delegada Especial de Apoio ao Turismo.

O episódio, teria levado a companhia aérea a adiar o voo BA-248, entre os aeroportos do Galeão e de Heathrow, em Londres.

Ao G1, a British Airways disse que este é "um assunto para a polícia" e que os comissários em questão "não estavam escalados" para o voo de 6 de setembro. Contudo, não revelou porque o voo BA-248 foi adiado. 

A polícia acredita que apenas um dos celulares foi furtado e os outros dois foram perdidos.
 
"A investigação demonstra que eles não contaram a verdade. Não contaram o que de fato aconteceu naquela madrugada. Eles criaram histórias para tentar justificar provavelmente o comportamento inadequado, fora das regras da empresa", disse ainda a delegada-assistente Danielle Bullus.

Leia Também: Israel rejeita resolução que pede pausas humanitárias em Gaza

Campo obrigatório