Meteorologia

  • 17 MAIO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Médica nega atendimento e grávida dá à luz no chão em hospital no RJ

A gestante deu à luz um menino no chão da recepção

Médica nega atendimento e grávida dá à luz no chão em hospital no RJ
Notícias ao Minuto Brasil

07:43 - 29/03/24 por Folhapress

Brasil Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF (UOL/FOLHAPRESS) - Mesmo em trabalho de parto, Queli Santos Adorno, 35 anos, teve atendimento recusado na maternidade Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias (RJ). A gestante deu à luz um menino no chão da recepção.

Queli chegou na maternidade por volta das 22 horas da quinta-feira da semana passada (21). Examinada por uma médica, foi orientada a permanecer na unidade hospitalar porque o caso poderia evoluir de forma rápida. As informações foram ditas pela irmã da grávida, Carine Santos Adorno, à TV Globo.

Quando eram 4 horas da madrugada de sexta, ela foi mandada para casa. A orientação ocorreu durante consulta com outra médica. A recomendação foi a de retornar à maternidade somente depois das 6h30.

A mãe ficou na recepção e às 6 horas entrou em trabalho de parto. Sem autorização para acessar a maternidade, ela deitou no chão e o menino Azafe veio ao mundo no piso frio maternidade.

Terminado o parto, Queli chorava enquanto falava: "Doutora negligente, eu falei. Ela não acreditou em mim". Quem realizou o parto foi a primeira médica que atendeu a gestante.

MÉDICA DEMITIDA

A prefeitura de Duque de Caxias demitiu a médica que mandou Queli para casa. A informação consta em nota enviada ao UOL. O texto manifesta "repúdio" à conduta da profissional e reafirma o compromisso com atendimento humanizado dos pacientes.

Também foi determinada abertura de sindicância. A apuração vai abranger a médica demitida e as condutas de outros profissionais de saúde envolvidos no atendimento de Queli.

A Secretaria de Saúde de Duque de Caxias ressaltou que mãe e filho passam bem. Os dois continuam internados e sob cuidados de uma equipe multidisciplinar.

A família ainda alegou que tentou registrar boletim de ocorrência e os agentes se negaram. Procurada, a Polícia Civil negou a informação e justificou que consultou a 60ª DP e foi informada que a delegacia não foi procurada pelos familiares da gestante.

"A médica responsável pelo último atendimento à paciente gestante Queli Santos Adorno, que deu entrada na Maternidade Municipal de Santa Cruz da Serra em 22/03/2024, às 22h37, foi desligada do seu quadro de funcionários", diz trecho da nota da Prefeitura.

Leia Também: Médica grávida é agredida dentro do consultório por paciente no Distrito Federal

Campo obrigatório