Meteorologia

  • 22 FEVEREIRO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Julgamento de Trump por suposto estupro começa em Nova Iorque

O advogado de Trump, Joe Tacopina, disse aos jurados que a história de Carroll era extremamente implausível e carente de evidências

Julgamento de Trump por suposto estupro começa em Nova Iorque
Notícias ao Minuto Brasil

05:10 - 26/04/23 por Notícias ao Minuto Brasil

Mundo Donald Trump

O julgamento do caso em que o ex-Presidente norte-americano Donald Trump é acusado de estupro pela jornalista E. Jean Carroll começou, nesta terça-feira, num tribunal de Nova Iorque. Na declaração inicial, o advogado de Carroll disse que o estupro, ocorrido no início de 1996, na sequência de um encontro casual nos armazéns Bergdorf Goodman, "mudou para sempre" a vida da jornalista.

"Cheia de medo e vergonha, manteve-se em silêncio por décadas. Eventualmente, porém, o silêncio tornou-se impossível", disse Shawn Crowley.

Depois de a jornalista ter mencionado o incidente num livro de memórias, publicado em 2019, o então Presidente "usou a plataforma mais poderosa da Terra para mentir sobre o que havia feito, atacar a integridade de Carroll e insultar a sua aparência", acrescentou Crowley.

Donald Trump, que não estava no tribunal, mas não descartou testemunhar, tem acusado Carroll de inventar a acusação de estupro para aumentar as vendas do livro.

O advogado de Trump, Joe Tacopina, disse aos jurados que a história de Carroll era extremamente implausível e carente de evidências.

Tacopina acusou Carroll de "abusar do sistema por dinheiro, por razões políticas e pelo estatuto", instando os jurados de Nova Iorque, uma cidade onde os democratas são tradicionalmente mais fortes, a deixarem de lado qualquer animosidade que possam ter em relação a Trump.

"Podem odiar Donald Trump. Mas há um tempo e um lugar para isso. Chama-se urna eleitoral. Não está aqui, num tribunal", disse Tacopina, ao painel de seis homens e três mulheres. "Ninguém está acima da lei, mas ninguém está abaixo dela," acrescentou.

O processo civil foi movido contra Trump, em novembro, por Carroll. O júri vai decidir se o estupro ocorreu e se o ex-Presidente norte-americano difamou a jornalista.

Leia Também: Após agendas em Portugal, Lula chega à Espanha para compromissos oficiais

Campo obrigatório