Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Primeiro-ministro português renuncia após escândalo de corrupção

Costa, que é membro do Partido Socialista, disse que tomou a decisão para "preservar a dignidade da função de primeiro-ministro" e "a confiança que os portugueses têm de ter nas instituições"

Primeiro-ministro português renuncia após escândalo de corrupção
Notícias ao Minuto Brasil

11:37 - 07/11/23 por Notícias ao Minuto Brasil

Mundo Antônio Costa

O primeiro-ministro português, António Costa, renunciou ao cargo nesta terça-feira (7 de novembro), após um escândalo de corrupção envolvendo concessões de exploração de lítio, um projeto de central de produção de energia a partir de hidrogênio e um projeto de construção de um data center.

Costa, que é membro do Partido Socialista, disse que tomou a decisão para "preservar a dignidade da função de primeiro-ministro" e "a confiança que os portugueses têm de ter nas instituições".

"Ao longo destes 25 anos dediquei-me de alma e coração a servir os portugueses", disse Costa em um discurso à imprensa. "Não me pesa na consciência qualquer ato ilícito. Confio na Justiça e no seu funcionamento."

O escândalo começou a ser investigado em janeiro deste ano, após uma denúncia da Procuradoria-Geral da República. No âmbito da investigação, a Polícia Judiciária deteve cinco pessoas, incluindo o chefe de gabinete de Costa, Eduardo Cabrita, e o ministro das Infraestruturas, João Galamba.

Cabrita e Galamba foram acusados de corrupção passiva, enquanto Lacerda Machado, o gestor tido como o "melhor amigo" de Costa, foi acusado de corrupção ativa.

Costa disse que não conhecia a existência do processo antes de ser detido. "Desconhecia em absoluto a existência de qualquer processo", afirmou.

A renúncia de Costa é um golpe para o Partido Socialista, que governa Portugal há seis anos. O partido terá agora de se preparar para as eleições legislativas antecipadas, que estão marcadas para o dia 30 de janeiro de 2024.

Leia Também: Premiê, chefe de gabinete e ministros de Portugal viram alvo de operação anticorrupção

Campo obrigatório