Meteorologia

  • 14 ABRIL 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Zema abre licitação de R$ 147 mi para contratar agências de publicidade em MG

O edital foi publicado nesta sexta-feira, 22, e prevê a criação de peças publicitárias para o gabinete do governador e para secretarias estaduais. Entre outros objetivos, está previsto o de "fortalecer a imagem institucional do Governo"

Zema abre licitação de R$ 147 mi para contratar agências de publicidade em MG
Notícias ao Minuto Brasil

10:00 - 26/12/23 por Estadao Conteudo

Política Minas Gerais

O governo de Minas Gerais, comandado pelo governador Romeu Zema (Novo), abriu um processo de licitação para contratar cinco agências de publicidade por um ano pelo valor de R$ 147 milhões.

O edital foi publicado nesta sexta-feira, 22, e prevê a criação de peças publicitárias para o gabinete do governador e para secretarias estaduais. Entre outros objetivos, está previsto o de "fortalecer a imagem institucional do Governo".

Segundo o edital, as empresas concorrentes devem enviar um plano de comunicação publicitária elaborada a partir de briefing proposto pelo governo, com o tema focado na redução da pobreza e da extrema pobreza. Foram apresentados exemplos e citados mais de 120 programas do governo para mitigar o problema social.

O governo foi procurado pelo Estadão para comentar a licitação, mas não se pronunciou até a publicação deste texto.

No início do mês, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou que o governo federal pedirá uma extensão do prazo para pagamento da dívida do Estado de Minas Gerais até 31 de março de 2024. A dívida é de R$ 165 bilhões e tem causado trocas de farpas entre o governador mineiro e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que tem encabeçado discussões sobre o assunto junto ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O chefe do governo de Minas Gerais também esteve recentemente no noticiário nacional por conta do seu próprio salário. Ele sancionou aumento de quase 300% na própria remuneração, de forma escalonada, até 2025.

A Advocacia-Geral da União (AGU) considerou o aumento inconstitucional em manifestação em ação impetrada pela Confederação das Carreiras Típicas de Estado. No último dia 18, o Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria e rejeitou a ação que questionava o aumento.

Leia Também: Haddad confirma reoneração do diesel e prepara anúncio de mais medidas

Campo obrigatório