Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

OMS alerta para o uso excessivo de antibióticos durante pandemia; conheça os riscos

A pesquisa foi feita com base em cerca de 450 mil pacientes internados devido à covid-19 em 65 países entre janeiro de 2020 e março de 2023

OMS alerta para o uso excessivo de antibióticos durante pandemia; conheça os riscos
Notícias ao Minuto Brasil

21:00 - 27/04/24 por Estadao Conteudo

Mundo Saúde

Durante a pandemia, antibióticos foram usados de forma generalizada e excessiva em pacientes internados com covid-19, o que pode ter potencializado a propagação de resistência microbiana. É o que diz levantamento divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na sexta-feira, 26.

A pesquisa foi feita com base em cerca de 450 mil pacientes internados devido à covid-19 em 65 países entre janeiro de 2020 e março de 2023. As informações foram obtidas junto à Plataforma Clínica Global da OMS para a Covid-19, rede de coleta de dados sobre o tema.

Importante destacar que a covid-19 é causada por um vírus e, por isso, não é tratada com antibióticos (que combatem bactérias). Mas há casos em que ocorre uma coinfecção e o paciente lida tanto com a covid-19 como com bactérias que realmente exigem o uso de antibióticos - trata-se de uma situação específica que afetou apenas 8% dos indivíduos internados com a doença no período, segundo a OMS. Mesmo assim, em torno de 75% desses pacientes foram tratados com esse medicamento "por via das dúvidas".

A incidência desse método variou entre diferentes regiões, segundo a OMS. Na região do Pacífico Ocidental (países localizados próximos ao Oceano Pacífico, no lado ocidental) o uso foi de 33%, enquanto no Mediterrâneo Oriental (países perto da parte oriental do Mar Mediterrâneo) e nas regiões africanas essa taxa chegou a 83%.

Além disso, ao longo do tempo analisado, o uso de antibióticos também se modificou. Entre 2020 e 2022, as prescrições de antibióticos para pacientes internados com covid-19 diminuíram na Europa e nas Américas, enquanto aumentaram em África, segundo a OMS.

Em relação aos tipos de antibióticos prescritos, o levantamento concluiu que os mais usados foram os com maior potencial de resistência microbiana, de acordo com a classificação da OMS.

De forma geral, o uso de antibióticos não melhorou os resultados clínicos dos pacientes com covid-19, segundo a OMS. Pelo contrário: isso pode ter causado danos às pessoas sem infecção bacteriana em comparação aquelas que não receberam antibióticos.

Riscos da prescrição indiscriminada

O principal risco associado ao uso excessivo de antibióticos é a resistência microbiana. Trata-se, segundo a o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), de um quadro em que micro-organismos, como bactérias, vírus, parasitas ou fungos, tornam-se resistentes a tratamentos antimicrobianos aos quais eles eram anteriormente suscetíveis, como antibióticos.

Quanto mais expostos a esses fármacos, maior a probabilidade desses micro-organismos se adaptarem - e se tornarem resistentes - a eles.

Pensando nisso, representantes da OMS destacam a necessidade de esforços para melhorar a prescrição racional de antibióticos e minimizar as consequências negativas do uso desnecessário.

Campo obrigatório