Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

ONGs criticam Bolsonaro e dão 'prêmio' Fóssil do Dia ao Brasil

"Bolsonaro cancelou a COP-25 no Brasil porque leu algo no WhatsApp [...] isso parece legítimo", ironiza o texto de justificativa para entrega do prêmio

ONGs criticam Bolsonaro e dão 'prêmio' Fóssil do Dia ao Brasil
Notícias ao Minuto Brasil

19:11 - 05/12/18 por Folhapress

Brasil ambientais

As organizações que acompanham as negociações da COP-24 do Clima manifestaram nesta quarta (5) suas reações críticas às mudanças na postura brasileira anunciadas nas últimas semanas, como a desistência de sediar a COP-25 no ano que vem e a possibilidade de deixar o Acordo de Paris, considerada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

"O Brasil, local de nascimento da agência de clima da ONU e até então um mediador confiável das negociações do Acordo de Paris, está para se tornar um dos tratantes mundiais do clima", critica o artigo publicado hoje no Eco, jornal que circula diariamente na COP, editado pela rede de ONGs Climate Action Network (CAN).

Brasil registra declínio em índice de liberdade de expressão

As mais de mil ONGs membros da rede votam a cada dia da COP para eleger o ganhador do prêmio Fóssil do Dia, que chama atenção para países que tentam travar as negociações ou que adotam políticas contrárias às previstas no Acordo de Paris. Nesta quarta o prêmio foi dedicado ao Brasil.

O país dividiu o primeiro lugar com a Arábia Saudita, país conhecido por dificultar as negociações climáticas e que, agora, leva o prêmio por se colocar contrário a mecanismos de elevação das ambições das metas de Paris.

Já o Brasil leva o troféu irônico pelo conjunto de afirmações de Bolsonaro e seu indicado para o Ministério das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, contrárias ao Acordo de Paris.

"Bolsonaro cancelou a COP-25 no Brasil porque leu algo no WhatsApp [...] isso parece legítimo", ironiza o texto de justificativa para entrega do prêmio. "Nunca antes na história das COPs um presidente recebeu o prêmio antes mesmo de assumir como chefe de Estado", comentou Márcio Astrini, coordenador de políticas públicas do Greenpeace no Brasil.

Ainda nesta quarta foi divulgada na COP-24 uma análise da Climate Action Tracker sobre o conjunto de mudanças para o clima que podem acontecer a partir da eleição de Bolsonaro no Brasil.

A publicação alerta para o alinhamento político de governadores da região amazônica com o presidente eleito, o que poderia acelerar políticas contrárias à preservação na região.

O setor aguarda com expectativa o anúncio do novo ministro do meio ambiente do Brasil, o que, segundo a equipe de transição, deve acontecer nos próximos dias. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório