Meteorologia

  • 15 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Tempo gasto em frente a telas afeta desenvolvimento de criança

Período em que os filhos crianças ficam em frente às telas nem sempre é calculado pelas famílias

Tempo gasto em frente a telas afeta desenvolvimento de criança
Notícias ao Minuto Brasil

07:45 - 07/10/18 por Estadao Conteudo

Lifestyle Estudo

Daniel, de 10 anos, passa no máximo uma hora e meia por dia em frente às telas da televisão ou do computador. Mas nem sempre foi assim. No ano passado, chegava a gastar oito horas diárias na TV - tempo que, segundo a mãe, o deixava agitado e desconcentrado. Quando percebeu que a situação tinha causado impacto até no desempenho escolar, a dona de casa Laís Corrêa, de 31 anos, reduziu o acesso aos equipamentos.

"Ele ficava agitado quando assistia a vídeos. Isso refletia no comportamento, diminuía a criatividade", diz a mãe. A diminuição no horário veio acompanhada de resmungo e de "greve". "Ele disse que não ia fazer mais nada. Mas a criança encontra alguma coisa. Agora, virou um 'cientista maluco', pega coisas quebradas, sai abrindo, explorando", diz Laís, que pretende replicar as novas regras com a caçula Ananda, de 2 anos.

+ Conheça tendências lançadas pelas 4 semanas de moda estrangeiras

O tempo que as crianças passam em frente às telas nem sempre é calculado pelas famílias, mas desperta a atenção de cientistas e médicos. Uma pesquisa recente mediu o número de horas que meninos e meninas de 8 a 11 anos ficam em celular, TV e videogames. O estudo, publicado na revista Lancet Child & Adolescent Health, concluiu que só 37% das 4,5 mil crianças americanas analisadas usam os aparelhos por até duas horas diárias.

Os cientistas também mediram o desenvolvimento cognitivo das crianças em áreas como linguagem, memória e atenção - então, cruzaram com dados sobre tempo de tela. "Independentemente do conteúdo, limitar o tempo recreativo de tela de uma criança a menos de duas horas está positivamente associado à cognição", disse ao jornal O Estado de S. Pauko Jeremy Walsh, do Hospital Infantil do Leste de Ontário e um dos autores do estudo.

A pesquisa não estabeleceu relação de causa entre cognição e o uso das telas, mas, segundo especialistas, está cada vez mais claro o impacto do abuso dos aparelhos no desenvolvimento. "A criança precisa interagir com objetos reais (brinquedos e pessoas)", diz a pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Ana Lúcia Meneghel, que começou a estudar o tema após ver uma cena que a intrigou. "Uma criança em frente a um aquário mexia os dedinhos para o peixe aumentar." O exagero, diz, pode causar atraso na construção de noções de localização, medida e estimativa.

Parâmetros

Se o excesso é prejudicial, os pais se perguntam: quanto e como controlar? Quando Pedro ganhou, aos 9 anos, um celular, a comerciante Fabiana Teixeira, de 39, achou que o aparelho seria um estímulo à criatividade. Com o tempo, notou mudanças no comportamento do filho. "Ele queria ficar mais recluso no quarto, ficou mais introvertido." Agora, Fabiana evita o acesso contínuo. "Não pode ficar por mais de uma hora", avisa.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), crianças da idade de Pedro não devem usar as telas por mais de duas horas diárias. Já para as de 2 a 5 anos, o rigor é maior: até uma hora. E bebês com menos de 2 anos não deveriam ter contato.

"Quanto mais tempo de tela, menos exposta a criança vai estar a outras experiências importantes para construir sua arquitetura cerebral", diz Liubiana de Araújo, presidente do Departamento Científico da Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento da SBP.

Para Andréa Jotta, do Laboratório de Estudos de Psicologia e Tecnologias da Informação e Comunicação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), os equipamentos não são prejudiciais em si, mas uma "ferramenta a mais para lidar com o mundo", que exige acompanhamento dos pais. "Eles têm de educar dentro e fora, acompanhar o crescimento da criança com as telas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório