Meteorologia

  • 17 MAIO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Grupo Wagner deixa base militar após acordo com Putin

Os mercenários do Grupo Wagner deixaram na noite de hoje (24) as instalações militares em Rostov-do-Don, cidade no sul da Rússia de onde partiram em uma ofensiva contra as forças regulares do governo russo. O recuo ocorreu após o grupo paramilitar chegar a um acordo com Putin, mediado pelo líder da Bielorrússia, Alexander Lukashenko.

Grupo Wagner deixa base militar após acordo com Putin
Notícias ao Minuto Brasil

05:30 - 25/06/23 por Notícias ao Minuto Brasil

Mundo Guerra na Ucrânia

O líder do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, foi o protagonista, nos últimos dias, de um dos maiores desafios para o chefe de Estado russo. A rebelião anunciada por Prigozhin colocou todos os olhos na Rússia e obrigou Vladimir Putin a vir dizer que não iria deixar o país cair numa "guerra civil". 

À medida que os combatentes do grupo tentavam avançar para Moscou, o líder do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, acabou por ordenar que a marcha fosse interrompida e que suas tropas se retirassem para seus campos na Ucrânia. Com a justificação de que o objetivo era evitar "derramar sangue" russo, com Prigozhin colocando assim um ponto final na insurreição contra o governo de Vladimir Putin.

As negociações decorreram com o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, país para onde Yevgeny Prigozhin vai viver.

Ao mesmo tempo que o Kremlin garantia que a rebelião abortada não afetaria "de forma alguma a intervenção militar" da Rússia na Ucrânia, em Kyiv falava-se da forma como Prigozhin "humilhou" Putin, tal como defendeu Podolyak, e anunciavam-se avanços em várias direções da frente leste, no âmbito da ofensiva contra as forças de Moscou.

Leia Também: Putin promete esmagar revolta de mercenários, que controlam parte de cidade

Leia Também: Conheça o Grupo Wagner, mercenários que lutam pela Rússia?

Campo obrigatório