Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Rússia ataca centro de transfusão de sangue no leste da Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, denunciou no sábado à noite um bombardeamento aéreo russo que deixou vários mortos e feridos num centro de transfusão de sangue na região de Kharkiv, no leste do país.

Rússia ataca centro de transfusão de sangue no leste da Ucrânia
Notícias ao Minuto Brasil

05:10 - 06/08/23 por Notícias ao Minuto Brasil

Mundo Ucrânia/Rússia

"Um míssil aéreo guiado russo [atingiu] um centro de transfusão de sangue na Ucrânia. Esta noite, na comunidade de Kupiansk, na região de Kharkiv. Mortes e feridos são relatados", escreveu o líder do Executivo ucraniano.

Zelensky disse na plataforma de mensagens Telegram que "a Rússia disparou foguetes e mísseis de cruzeiro na noite de sábado" e "alguns dos foguetes foram abatidos por caças de defesa aérea ucranianos".

O Presidente ucraniano qualificou o ataque como "um crime de guerra", que "por si só diz tudo sobre a agressão russa", e garantiu que os serviços de emergência estão a trabalhar para extinguir o incêndio provocado pelo bombardeamento.

Zelensky apelou "a todos aqueles que valorizam a vida", para quem "derrotar os terroristas" é, na sua opinião, "uma questão de honra".

Horas antes, o chefe de Estado tinha confirmado um outro ataque com mísseis russos contra edifícios pertencentes ao fabricante de aviões Motor Sich, na região de Khmelnytsky, no oeste da Ucrânia.

Na sexta-feira à noite, as forças ucranianas atacaram um petroleiro russo que transportava crude no Mar Negro, uma operação para a qual Moscovo prometeu uma retaliação.

Nos últimos dias, vários ataques de 'drones' (aparelhos não tripulados) ucranianos tiveram como alvo a cidade de Moscou, a península da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, e navios russos no Mar Negro.

Os ataques russos aconteceram numa altura em que decorria na cidade de Jidá, na Arábia Saudita, uma reunião de conselheiros de segurança nacional e representantes de 40 países sobre o conflito na Ucrânia.

Zelensky disse no sábado que o encontro discutiu o plano de paz apresentado pela Ucrânia em 2022, com 10 pontos que Kiev considera serem indispensáveis para aceitar um entendimento com Moscou.

O plano representa "o retorno à ordem internacional" que "a Rússia violou com a sua agressão" contra a Ucrânia e que "é necessário restaurar", acrescentou o Presidente.

O plano exige a retirada das tropas russas, incluindo da Crimeia, a cessação das hostilidades, a garantia da segurança nuclear e segurança energética, a implementação da Carta das Nações Unidas, justiça, a prevenção da escalada, a proteção do meio ambiente, libertação de prisioneiros e deportados, comida segura e a confirmação do fim da guerra.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de fevereiro do ano passado, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Leia Também: Cadela supostamente eutanasiada encontrada em funil para "trituração"

Campo obrigatório