Meteorologia

  • 23 JUNHO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Mulher que sofria por ter ‘pernas de tronco de árvore’ descobre doença

Shannon sofreu bullying por conta de seu peso, desconhecendo a verdadeira causa

Mulher que sofria por ter ‘pernas de tronco de árvore’ descobre doença
Notícias ao Minuto Brasil

05:40 - 23/05/24 por Notícias ao Minuto Brasil

Mundo lipedema

Uma britânica de 40 anos, Shannon Ashley Nelson, descobriu que sua aparente obesidade é, na verdade, uma condição genética rara e incapacitante chamada lipedema. Durante grande parte de sua vida, Shannon sofreu bullying por conta de seu peso, desconhecendo a verdadeira causa. De acordo com o The Sun, até o momento, ela gastou mais de 100 mil dólares (500 mil reais) em cirurgias para tratar a doença.

Shannon percebeu desde a adolescência que suas pernas engordavam desproporcionalmente em relação ao resto do corpo. Aos 14 anos, consultou um cirurgião plástico que recomendou perda de peso e lipoaspiração. Apesar dos esforços, Shannon não conseguiu emagrecer, levando-a a acreditar que era responsável por sua condição. Ela tentou diversas dietas e manteve uma alimentação saudável, mas sem sucesso, e sua autoestima foi afetada, influenciando seus relacionamentos pessoais.

Notícias ao Minuto [Legenda]© Reprodução- The Sun  

A condição de Shannon também causava dores intensas e constantes, além de úlceras, infecções e desconforto geral. Aos 33 anos, após o nascimento de sua filha, Shannon pesquisou na internet sobre suas pernas, descritas por ela como "pernas de tronco de árvore", e descobriu o lipedema. Essa doença causa um acúmulo anormal de gordura nas pernas, quadris, nádegas e braços, frequentemente confundida com obesidade, mas que os pacientes não conseguem controlar.

Lipedema não tem cura, e a única opção de tratamento é a realização de cirurgias para a remoção de gordura e tecido das pernas, visando impedir o avanço da doença. Cada cirurgia custa aproximadamente 20 mil dólares (100 mil reais).
 
 

Leia Também: Com os corpos em casa, jovem foi a padaria um dia após os assassinatos

Campo obrigatório